VOCÊ TREINA A POTÊNCIA MUSCULAR?

Potência muscular é a força gerada rapidamente.
Com ela somos capazes de evitar uma queda quando nos desequilibramos.
Ela está ligada à independência e qualidade de vida.
É tão importante quanto a força muscular.
Ela é uma valência física esquecida nos programas de treinamento.
Se você não realiza movimentos rápidos não desenvolve completamente sua potência.



Imagino que esteja pensando na pergunta que fiz no título desta postagem.


Talvez esteja pensando no que é potência muscular? Ou, para que ela serve?


Pense nas vezes em que é necessário reagirmos ou realizarmos uma tarefa rapidamente. Como quando precisamos evitar uma queda ao tropeçar em um tapete, levantar de uma cadeira ou subir uma escada. Para essas tarefas é imprescindível que nossos músculos reajam e contraiam rapidamente.


A força muscular é uma valência física bastante conhecida e pode ser definida como a quantidade máxima de força/carga que pode ser gerada e/ou movimentada. Ela pode ser medida como uma repetição máxima (1RM), que é a quantidade de peso que pode ser levantada em um único movimento. Ela também pode ser avaliada através de aparelhos especiais que são capazes de medir a tensão gerada por um grupamento de músculos.


A potência muscular é um pouco diferente, essa valência física leva em consideração a velocidade em que os músculos podem se contrair. Portanto, a potência muscular é o produto da contração e da velocidade, e está ligada à geração de força rapidamente. Essa valência é extremamente importante e deve ser considerada no treinamento de qualquer pessoa de qualquer idade.


Esta valência muscular é um aspecto do treinamento normalmente esquecido nos programas de treinamento. Quando o treinamento utiliza somente repetições lentas e controladas, nunca a potência muscular será treinada e nunca aprimoraremos a capacidade dos músculos de realizarem contrações rápidas.


A relação da diminuição da potência muscular com o declínio da independência e da qualidade de vida já foi bem determinada durante o envelhecimento. Mesmo que as evidências mostrem que a potência muscular diminui antes da força muscular (1), o treinamento da potência raramente é incluído nos programas de treinamento para adultos e idosos.


A não inclusão da potência muscular nos programas de treinamento para adultos e idosos pode gerar consequências indesejáveis, já que esta valência física é um determinante mais importante do estado funcional e da independência das populações mais velhas do que a somente a força (2). A redução da funcionalidade e da independência ocorre devido à perda da massa muscular, gerada pela redução do número e do tamanho das fibras musculares e também pela diminuição da capacidade do sistema nervoso em ativar os músculos (1).


A avaliação da potência muscular, através de testes que simulam atividades diárias, mostra-se eficiente para estimar o estado funcional e a redução da massa muscular (sarcopenia) (3,4), como também a função cognitiva de adultos e idosos (4).


Parece claro que todos devem, além de treinar a força, aprimorar a potência muscular. Para isso fale com seu professor e/ou treinador para exercícios que aprimorem essa valência física sejam incorporados ao seu programa de treinamento. E dessa forma garantirmos qualidade de vida, independência e consequentemente uma vida feliz até terceira idade.


Grande abraço, Carlinhos!


Referências


[1] P Aagaard, et al. 2010. Role of the nervous system in sarcopenia and muscle atrophy with aging: strength training as a countermeasure. DOI: 10.1111/j.1600-0838.2009.01084.x


[2] Reid KF, Roger A. 2013. Fielding Skeletal Muscle Power: A Critical Determinant of Physical Functioning In Older Adults. DOI: 10.1097/JES.0b013e31823b5f13


[3] Bahat G, et al. 2020. Power Versus Sarcopenia: Associations with Functionality and Physical Performance Measures. DOI:10.1007/s12603-020-1544-8


[4] Alcazar, J. 2018. The sit-to-stand muscle power test: An easy, inexpensive and portable procedure to assess muscle power in older people. DOI:10.1016/j.exger.2018.08.006

Posts Recentes